terça-feira, 26 de novembro de 2013

Programa do Facebook vale como crédito para estudantes


Mãos na massa, concessão de créditos universitários de acordo com atividades desenvolvidas on-line e programação. No dia 13 de Novembro, o Facebook, em parceria com a Universidade de Stanford, lançou a Open Academy, projeto que quer ajudar estudantes de ciência da computação a se preparar para o mercado de trabalho por meio do desenvolvimento de plataformas de código aberto.
Depois da aplicação de um piloto bem sucedido no ano passado, a Open Academy conseguiu, neste ano, a adesão de mais 22 instituições, como o MIT, a Universidade de Toronto, Universidade do Texas e Universidade de Tóquio. A novidade, entretanto, não é só essa. O programa agora vai permitir que os alunos recebam créditos universitários de acordo com as atividades de codificação desenvolvidas.
O objetivo por trás disso tudo é amenizar a diferença que os estudantes sentem na passagem da academia para o mercado de trabalho. Na primeira etapa do programa, alunos e orientadores das próprias universidades vão passar por um curso intensivo de um final de semana na sede do Facebook. Depois, numa segunda etapa, os alunos voltam para suas universidades e continuam a trabalhar em equipes virtuais, que terão mentores – os orientadores de cada universidade formados pelo Facebook – responsáveis por ensinar, avaliar o desenvolvimento e sugerir maneiras de aplicar melhorias nos códigos, como o do Mozilla que é opensource.
“O desenvolvimento de software como profissão tem muitas características que são distintas de ciência da computação como um assunto acadêmico”, explica o Facebook no anúncio oficial de lançamento. “Os projetos são muitas vezes maiores do que as pessoas que participam deles; gerenciamento de projetos e relações interpessoais podem ter tanto impacto no design de software como questões técnicas e sistemas.”
O curso vai começar oficialmente em fevereiro de 2014, quando vai acontecer a primeira formação de três dias. Além das equipes, que vão se reunir para definir suas bases de código dos projetos, as universidades também devem se reunir para discutir abordagens inovadoras para a melhoria do currículo de ciência da computação como um todo.
Fonte: Porvir