domingo, 14 de dezembro de 2014

Exercícios - Denotação e Conotação

  • Questão 1

    Atenha-se a uma leitura minuciosa do texto em evidência e, em seguida, responda ao que se pede:

    Metáfora
    Uma lata existe para conter algo
    Mas quando o poeta diz: "Lata"
    Pode estar querendo dizer o incontível

    Uma meta existe para ser um alvo
    Mas quando o poeta diz: "Meta"
    Pode estar querendo dizer o inatingível

    Por isso, não se meta a exigir do poeta
    Que determine o conteúdo em sua lata
    Na lata do poeta tudo nada cabe
    Pois ao poeta cabe fazer
    Com que na lata venha caber
    O incabível

    Deixe a meta do poeta, não discuta
    Deixe a sua meta fora da disputa
    Meta dentro e fora, lata absoluta
    Deixe-a simplesmente metáfora

                              Gilberto Gil
                                         Composição: Gilberto Gil - 1982
    * Levando-se em consideração os sentidos expressos pela linguagem, comente acerca do discurso presente na criação de Gilberto Gil.

  • Questão 2
    Aos estabecermos familiaridade com os enunciados linguísticos subsequentes, notamos que estes integram determinadas circunstâncias comunicativas presentes na linguagem cotidiana. Assim sendo, analise-os levando-se em consideração o sentido contextual por eles expresso.
    A garota está com a pulga atrás da orelha.
    Nossa! Fulano é uma cobra!
    Não posso fazer mais compomisso, pois estou com a corda no pescoço.

  • Questão 3
    Explicite seus conhecimentos sobre o emprego da linguagem conotativa e denotativa mediante os discursos manifestados nas situações de interlocução.

  • Questão 4
    Frente a uma análise dos excertos ora demarcados, depreende-se que os trechos nos quais o autor se propôs ao emprego da linguagem conotativa podem ser identificados por:

                            I
    Amor é fogo que arde sem se ver;
    É ferida que dói e não se sente;
    É um contentamento descontente;
    É dor que desatina sem doer.


    É um não querer mais que bem querer;
    É um andar solitário entre a gente;
    É nunca contentar-se de contente;
    É um cuidar que se ganha em se perder.


    É querer estar preso por vontade
    É servir a quem vence o vencedor,
    É ter com quem nos mata lealdade.


    Mas como causar pode seu favor
    Nos corações humanos amizade;
    Se tão contrário a si é o mesmo amor?

                                                    Luís de Camões
    II

    Os poemas

    Os poemas são pássaros que chegam
    não se sabe de onde e pousam
    no livro que lês.
    Quando fechas o livro, eles alçam voo
    como de um alçapão.
    Eles não têm pouso
    nem porto
    alimentam-se um instante em cada par de mãos
    e partem.
    E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
    no maravilhoso espanto de saberes
    que o alimento deles já estava em ti...
                     Mário Quintana
    III

    Cortar o tempo
    Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias,
    a que se deu o nome de ano,
    foi um indivíduo genial.
    Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
    Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
    Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente.
                                                     Carlos Drummond de Andrade

  • Questão 5
    Partindo-se do pressuposto de que a linguagem é expressa por diferentes sentidos em um dado contexto, atribua aos exemplos em questão os códigos mencionados:
    ( D ) denotação
    ( C ) conotação 

    a -  (   )
    Horário de verão começa à meia-noite deste sábado.
    Relógios devem ser adiantados em uma hora no Sul, Sudeste e Centro-Oeste.
    Expectativa é de redução de 5% na demanda de energia no horário de pico.http://g1.globo.com/brasil/noticia/2010/10/horario-de-verao-comeca-meia-noite-deste-sabado.html

    b – (     )

    c – (   )

    Memória
    Amar o perdido
    deixa confundido
    este coração.

    Nada pode o olvido
    contra o sem sentido
    apelo do Não.

    As coisas tangíveis
    tornam-se insensíveis
    à palma da mão

    Mas as coisas findas
    muito mais que lindas,
    essas ficarão.
    Carlos Drummond de Andrade

    d – (     )
    A camada de ozônio, o escudo que protege a vida na Terra dos níveis nocivos de radiação ultravioleta, manteve-se estável na última década, conforme estudo elaborado pela Organização Mundial da Meteorologia (OMM) e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), divulgado nesta quinta-feira.
                                                                                                       [...]                                                       (Fonte: Folha de São Paulo, 16/09/2010)

Gabarito
Resposta Questão 1
Tão logo estabelecemos contato com o texto, constatamos que o autor estabelece um jogo de sentido entre o vocábulo “lata” que, de acordo com seu sentido denotativo, representa um recipiente que utilizamos para “depositar” algo. Aplica-lhe, sobretudo, um sentido conotativo, uma vez que em se tratando da criação imaginativa do poeta, essa lata tudo pode comportar, como nos revelam os fragmentos:
Na lata do poeta tudo nada cabe
Pois ao poeta cabe fazer
Com que na lata venha caber
O incabível
[...]

Diante de tais elucidações, concluímos que se trata da metáfora referente à própria criação poética, como literalmente expressa por meio do título.

Resposta Questão 2
A linguagem conotativa encontra-se demarcada não somente em textos publicitários e na linguagem poética, mas também na linguagem cotidiana de uma forma geral, dada a nossa forte carga de expressividade e afetividade. Assim, por meio dos enunciados constatamos que o sentido expresso no primeiro é revelado por temor, medo de algo que possa vir a acontecer. O segundo retrata o sentido de uma pessoa má, portadora de atitudes abomináveis, e o terceiro representa algo relacionado a uma sobrecarga de compromissos financeiros.

Resposta Questão 3
O sentido expresso pelas palavras está relacionado, primeiramente, à noção de significado e significante, sendo este identificado pela materialização da palavra propriamente dita, ou seja, as letras e os sons que ela representa; e aquele pela parte concreta, isto é, o significado, remetendo-nos a uma imagem mental, representativa.
Dessa forma, temos que uma mesma palavra pode adquirir diferentes significados, dependendo do contexto em que se encontrar inserida, visto que na linguagem conotativa o sentido deixa de ser convencional e passa a adquirir múltiplos sentidos, dadas as diferentes interpretações que se atribuem a estes. Quanto ao emprego, sua incidência se dá por meio da  linguagem publicitária e da linguagem literária como um todo. 
Já o sentido denotativo, real, faz parte dos textos informativos, científicos e didáticos como um todo, pois a objetividade representa a principal característica.

Resposta Questão 4
Texto I

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
[...]
É um andar solitário entre a gente;
[...]
É querer estar preso por vontade
-------------------------------------------
Texto II
Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam voo
como de um alçapão.
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem.
-------------------------------------------------------
Texto III
Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias,
[...]
Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Resposta Questão 5
D; C; C; D.