quinta-feira, 15 de março de 2012

FÓRUM INTERNACIONAL DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL “O PROFESSOR E A TECNOLOGIA EDUCACIONAL APLICADA NA SALA DE AULA - FORMAR E MOTIVAR PARA A INOVAÇÃO”


FÓRUM INTERNACIONAL DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL “O PROFESSOR E A TECNOLOGIA EDUCACIONAL APLICADA NA SALA DE AULA - FORMAR E MOTIVAR PARA A INOVAÇÃO”

O objetivo do Fórum Internacional de Tecnologia Educacional “O Professor e a Tecnologia Educacional Aplicada na Sala de Aula - Formar e Motivar para a Inovação” será o de proporcionar uma ampla troca de pontos de vista sobre como as TIC alavancam novos padrões de aprendizagem e uma compreensão aprofundada de histórias inovadoras e narrativas de sucesso entre peritos oriundos de vários continentes e filosofias de vida.

Princípios Orientadores


O Fórum Internacional de Tecnologia Educacional  “O Professor e a Tecnologia Educacional Aplicada na Sala de Aula - Formar e Motivar para a Inovação” não aborda a formação de professores em termos meramente clássicos.
Aquilo que está verdadeiramente em jogo é como motivar os educadores para a inovação mediante estímulos atrativos e incentivos apropriados  de entre os quais a formação é um muito importante, mas não o único.
Para o  Fórum Internacional de Tecnologia Educacional  “O Professor e a Tecnologia Educacional Aplicada na Sala de Aula - Formar e Motivar para a Inovação” o tema da Inovação é estratégico, sendo mesmo uma constante doseu ideário: inovar para o uso das TIC e, sobretudo, inovar nas aprendizagens através das TIC.
As TIC são um elemento incontornável na forma de comunicar, pensar e (con)viver atuais, indissociável da experiência cotidiana do jovem e, mesmo, da criança. Compete ao professor evitar qualquer clivagem na mentedo aluno entre o mundo exterior e a escola.
Todaviatodos os estudos contemporâneos, designadamente os que se debruçam sobre os impactos das TIC nas aprendizagens, demonstram que os melhores alunos não são os que passam mais tempo nas tecnologias digitais mas sim os que sabem utilizá-las criteriosamente para acrescentar valor aos seus percursos de estudo e aos seus esforços de busca de novo conhecimento.
Torna-se assim necessário assegurar um investimento importante no peopleware, isto é, na preparação dos docentes e das lideranças das escolas para realizar a plena integração das TIC nos processos de ensino e de aprendizagem.
Importa favorecer, em paralelo, uma política vigorosa de fomento da integração efetiva das TIC nos processos escolares, seja ao nível pedagógico em sala de aula, seja ao nível administrativo e de gestão do estabelecimento de ensino, aproveitando o potencial das TIC para alavancar processos de mudança positiva.

As maiores ameaças inventariadas nos estudos de avaliação das TIC em contexto escolar são: 
  • Falta de preparação de muitos professores para utilizar adequadamente os materiais TIC.
  • Deficiências ao nível da manutenção do parque de equipamentos TIC e de verbas para a sua necessária renovação a um ritmo compatível com a vertiginosa evolução tecnológica em curso.

A exemplo de diversos países e, também, no Brasil os estudos empíricos demonstram que:
  • 70% dos alunos consideram que os docentes não estão preparados para uso das TIC.
  • 77,3% dos professores afirmam que o corpo docente não está suficientemente preparado para o uso das TIC.
  • As diferenças de e-Competências podem também gerar clivagens entre docentes, impactantes nas suas relações profissionais. Resulta daí que existem tensões mas que estas não são, aparentemente e para já, de molde a alterar as relações de poder existentes. Contudo, a maioria dos docentes (55,4%) afirma que as TIC geram desigualdades crescentes  entre os docentes que dominam ou não a tecnologia.Obs.: % base dados internacionais.   

Os professores destacam como consequências mais positivas do uso de TIC em espaço letivo:
  • O domínio de instrumentos úteis para uma melhor preparo das aulas.
  • A capacidade de melhor ilustração das matérias que lecionam.
  • 60%  dos professores afirmam ser melhores profissionais por poderem recorrer às TIC.
  • Os professores afirmam saber utilizar razoavelmente bem em sala de aula os recursos tecnológicos. Todavia, ainda se está distante do cenário ideal em que todos os professores dominam os recursos educativos comdestreza e à vontade.

A investigação, destacam ainda, a facilidade da comunicação entre os vários atores escolares (vantagem mencionada por 90,1% dos diretores e 85,6% dos docentes), a possibilidade de novas formas de participação na vida da escola (vantagem mencionada por 91,4% dos diretores e 79,7% dos docentes) e o reforço da cultura organizacional da escola (vantagem mencionada por 67,9% dos diretores e 50,5% dos docentes) .
Obs.: % base dados internacionais. 

Recomenda-se que a formação contínua de docentes seja segmentada, em função das competências já detidas pelos diversos públicos-alvo, sendo dada preferência a programas de formação que:
  1. estejam alinhados com o plano estratégico TIC de cada escola.
  2. sejam ministrados em contexto de trabalho (sala de aula do formando). 

Organização: Vanguarda Educação Editora.
veja a programação do Fórum Internacional de Tecnologia Educacional 2012.